Resenha: A morte e os seis mosqueteiros de Anatole Jelihovschi

18:46

Olá, leitores. Como vão?
Hoje eu trago para vocês a resenha do livro A morte e os seis mosqueteiros que eu recebi para fazer um Book tour!
A morte e os seis mosqueteiros foi escrito por Anatole Jelihovschi e publicado em 2014 pela editora Jaguatirica.
Imagem cedida pela editora

***
Como cenário dessa estória temos uma favela muito violenta e como personagens principais seis amigos que se autodenominam os seis mosqueteiros.

“O nome veio daquela história dos três mosqueteiros que viviam do outro lado do mundo na época em que existiam fadas, bruxas e reinos encantados. A professora leu o livro para a turma [...] A gente não se cansava de olhar para aquelas páginas com gente vestida tão bacana. E tinha aquele negócio de um por todos e todos por um.” (JELIHOVSCHI, 2014, p. 11).

O narrador é um desses mosqueteiros, o mais bonito, D’Artagnan, ou simplesmente, Zequinha. Ele e seus amigos, Juca Pelo de Burro, João Mocotó, Zé Grande, Batata e Meia-noite, além de Julinha que mora fora da favela, vivem as alegrias da infância sem se corromperem pelo meio em que vivem, sonhando com as estórias dos livros como Os três Mosqueteiros e O fantasma da Ópera, contudo, isso dura pouco.
Zequinha narra em primeira pessoa todos os acontecimentos de seu passado e aos poucos o leitor descobre que a vida na favela é muito mais cruel do que aquela que vemos nos noticiários. Ele sempre quis ser alguém na vida: trabalhar, estudar, constituir família, mas, conforme ele cresce, percebe que quem vive na favela está fadado a entrar para o crime ou viver com medo.

“Na favela não existe futuro, não. [...] Ninguém estuda para se formar doutor ou casar com garota rica, ganhar dinheiro e essas coisas todas. A gente precisa botar comida em casa, e é só. É isso hoje, vai ser isso amanhã. [...] Por isso esse negócio de morrer com dezessete, vinte e cinco ou oitenta anos, dá tudo na mesma. Ninguém tem futuro pela frente mesmo, e não se perde nada ao se morrer jovem aqui.” (JELIHOVSCHI, 2014, p. 50).

Conforme os “mosqueteiros” crescem, se afastam um dos outros, inclusive Zequinha se afasta de Julinha que era sua “paixonite”. Enquanto tenta se arrumar na vida, Zequinha descobre que seus amigos entraram para o mundo do crime, e estes tentam de todo modo dissuadi-lo a entrar também, contudo, Zequinha se mantém firme e não se deixa iludir. Consegue arrumar um emprego e é indo para o trabalho, no metrô, que reencontra Julinha. A partir daí, a vida de Zequinha se transforma em uma montanha-russa, oscilando entre momentos de alegria e desespero.
Foto: arquivo pessoal
***
Morte, traição, medo... Todos esses elementos encontramos no enredo de A morte e os seis mosqueteiros. É uma estória triste, o tipo de livro que costumo classificar como um “soco no estômago” do leitor, pois nos tira de nossa zona de conforto e nos joga diretamente no mundo de tiroteios e sangue da favela, onde nem a polícia é confiável e nem na igreja se está seguro!
A escrita é extremamente fluida por sua simplicidade que acredito seja proposital – já que é uma pessoa da favela quem narra -, mas, apesar de simples, a narrativa é cheia de metáforas e pensamentos/reflexões do narrador que a tornam muito rica.
Eu indico essa leitura, sim. É um livro muito realista, com muita ação e que prende o leitor em todos os momentos.
A revisão também está impecável, e a estilística do autor me agradou muito.
***

Gostaria de agradecer à editora por ter me convidado para participar do Book Tour, fiquei muito feliz pelo voto de confiança. Ademais, não fosse pela equipe da Jaguatirica, jamais teria conhecido essa maravilhosa estória!
Está é a minha opinião sobre o livro A morte e os seis mosqueteiros. Em breve, o livro será repassado para as mãos da Tainan do blog Eu curto Literatura e vocês poderão conferir a opinião de mais uma pessoa! E no final do Book Tour tem uma surpresa para vocês, leitores ;)

Blogs participantes do Book Tour A morte e os seis mosqueteiros:

Esperam que tenham gostado da resenha!

Beijinhos, Hel.


JELIHOVSCHI, Anatole G. A morte e os seis mosqueteiros. 1ª ed. Rio de Janeiro: Jaguatirica, 2014. 142 p.

You Might Also Like

18 comentários

  1. Gostei da rezenha Hel, a estoria deve ser ótima!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Débora ^^
      É uma ótima estória mesmo!

      Excluir
  2. Bom, já havia dito antes, mas o livro não me atraiu muito não. XP
    Mas gostei da resenha! =)
    Do jeito que comentou parece interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De início eu também não estava gostando tanto! Mas conforme a leitura fluía eu fiquei cada vez mais envolvida, por fim estava agoniada com a situação do Zequinha e torcendo por ele!

      Que bom que você gostou da resenha :)
      Beijos.

      Excluir
  3. Parece um pouco com arealidade vivida nas favelas do Brasil, onde crianças vivem no olho do fucaraçao. Algumas com pensamentos mais adulto e realidade passam despercebidos ou nao se rendem ao paralelo de comunidade e facçao. Gostei muito de tudo, mais um livro que entra na minha lista de desejos.

    Euablogueirapobre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Como eu disse, é um livro muito realista. Triste lê-lo e pensar que o que está ali escrito não é só ficção!

      Que bom que você gostou do livro!
      Beijos!

      Excluir
  4. Só pra começar, AMEEEI o título do seu blog.
    Tbm sou apaixonada por livros e gatos ♥
    Sobre o post, não conhecia o livro, adorei sua resenha.

    Tô te seguindo!
    Beijinhos :*
    Sankas Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii, Thay!
      Impossível não amar essas duas coisas né?
      Obrigada, querida!♥

      Excluir
  5. Olá!
    Ótima resenha!
    Faz tempo que não leio algo que acaba por retratar a realidade, estou muito ansioso para chegar a minha vez!
    =D

    http://osdragoesdefogo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kaio. Espero que você goste assim como eu gostei ;)
      E eu estou ansiosa para saber a opinião dos outros blogueirosa!

      ^^

      Excluir
  6. Excelente resenha Hel! Não é o tipo de livro que costumo ler a história parece ser interessante. Gosto de livros assim, que narram da mesma forma como o personagem falaria. Adoro um chamado A Resposta (que deu origem ao filme Histórias Cruzadas). Ele é narrado por empregadas domésticas que tiveram pouco estudo, então possui vários errinhos de construção ou gramatica. Um charme <3
    Nossa fui comentar e escreve um texto huahua Bjão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Thalita ^^
      A resposta deve ser muito bom, nunca li mas o filme é maravilhoso. Outro livro que traz falas de personagem com impressões da oralidade é A cor púrpura, já leu?
      Beijinhos.

      Excluir
    2. Olá Hel! Não li não, pensava que só existia o filme. Coloquei na lista do Skoob hehe obrigada pela dica :)
      Bjs
      EntreLinhas Fantásticas

      Excluir
    3. Eu vi que você adicionou no Skoob =D
      Você não vai se arrepender de ler A cor púrpura, é lindo!

      Excluir
  7. Olá, Hel!
    Fiquei bem interessada nessa trama... é o tipo de livro que eu curto. Adorei a resenha!
    Gatos e livros é tudo de bom! Adorei o blog!
    Beijos!
    Gatita&Cia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tatiana. Obrigada!
      Que bom que você gostou da trama, é realmente um livro muito bom!

      Beijos!

      Excluir

Deixe um comentário! Eu vou adorar saber a sua opinião e com muito prazer te responderei :)