Vale a pena fazer parcerias com editoras? - Um relato pessoal

17:00

O Leituras&Gatices já está se encaminhando para o seu segundo ano de vida e, depois desse tempo que passou, sinto que surge um momento de autoavaliação. O que eu fiz até agora? Tenho trazido conteúdo de qualidade? Meu blog faz a diferença ou é só mais um num oceano? O que eu construí de inspirador e motivador para que as pessoas leiam mais?

Além disso, com o fim de 2016 e o início do novo ano em que estamos, acabei também ponderando em que aspecto as parcerias que tive ajudaram o blog a crescer no quesito visibilidade e reconhecimento, bem como elas influenciaram nos meus hábitos de leitura e nas postagens aqui do blog.

Arquivo pessoal

Basicamente, houve três estágios em relação às parcerias: euforia, decepção e amadurecimento.

No início, meados de fevereiro de 2016, fui selecionada em duas parcerias com editoras grandes e isso foi muito empolgante. O L&G tinha menos de 6 meses (um baby) e já tinha parcerias de peso! "Desse jeito, nessa velocidade, o blog vai longe em pouco tempo!", pensei. Ledo engano. De fato, em mais alguns meses eu seria selecionada em mais duas parcerias com editoras, porém, eu já estava bem menos empolgada.

Não é algo mágico que de um dia para o outro o fato de o blog ter um selo de parceiro na lateral vai fazer crescê-lo automaticamente. Não mesmo! Na verdade, pouca coisa muda, a não ser a responsabilidade com prazos e divulgação. Se antes das parcerias eu era livre para ler, resenhar e divulgar o que eu bem entendesse, depois, minhas opções foram drasticamente limitadas.

E aí entra a parte da decepção. Aquela euforia inicial vai dando lugar a um cenário bem menos glamouroso. É uma corrida contra o tempo e, muitas vezes, contra o próprio livro, que é extenso demais, lento demais, até chato demais e precisa ser lido, resenhado, fotografado, divulgado etc etc.. Claro que, em meio a tudo isso, surgem livros incríveis e que valem muito a pena serem lidos. Mas o que eu me questiono é: vale a pena todo esse trabalho? Para mim, não vale. 

Vejam, eu não vivo só de blog (quem dera), tenho outros compromissos e aqui resenhando somos somente eu e a Julya. Outra questão: eu não leio rápido e não gosto de pressão. Eu posso até fazer uma resenha bem feita em prazos apertados, contudo, é aquele ditado: não foi feito com amor. Assim como a leitura, falar sobre livros deve ser uma atividade prazerosa e não feita por obrigação.

E ainda se fosse um trabalho com remuneração. Não é! Muita gente vem me perguntar quanto as editoras me pagam para criticar e divulgar os livros e quando eu respondo "Nada, elas somente enviam o livro!" as pessoas ficam chocadas. Percebam que eu e a Julya temos formação acadêmica em literatura, tudo bem que o blog não tem um público tão grande assim, mas vocês acham justo fazer todo o trabalho e ganhar só um livro em troca? E muitas vezes um livro que nem pedimos? Reflitam.

Como resultado disso tudo, ao fim do ano passado eu não estava mais me sentindo feliz em relação ao blog. Sabe quando você está satisfeito, fez tudo do jeito certo, mas não sente sua personalidade impressa no seu trabalho? Sabe quando você tem certeza de que poderia ter feito melhor se fosse de outro jeito? Não vou ser categórica e dizer que o conteúdo não estava bom para mim, mas deixei de ler muita coisa que eu queria em detrimento de leituras enviadas por editoras parceiras. 

"Assim como a leitura, falar sobre livros deve ser uma atividade prazerosa e não feita por obrigação."

Por fim, vem o amadurecimento. Período em que eu parei para analisar tudo o que aconteceu até aqui. Percebi que as parcerias com autores(as) nacionais me davam muito mais satisfação devido ao feedback ser mais próximo e pelo fato de que estas foram realmente parcerias. "Como assim, Hel? As editoras não praticam parceria?" De certo modo, e no meu caso, não! Parceria, para mim, é quando um ajuda o outro, a editora/autor manda o livro, eu resenho/divulgo e tenho ajuda nessa divulgação, seja com compartilhamentos ou mesmo um elogio/crítica. Afinal, eu preciso saber se estou fazendo a minha parte de maneira apropriada (até para me preparar para possíveis renovações de parcerias) e também porque é muito óbvio que quanto mais divulgação, mais pessoas se interessam por adquirir aquele produto, no caso, livro. A palavra-chave, e o que faltou no meu relacionamento com as editoras, é feedback. É muito chato enviar um e-mail e não ser respondida. Mais chato ainda ficar no vácuo nas redes sociais. É como se fosse uma via de mão única, um canal de comunicação em que um dos lados não ouve.

Ao final de todo este meu relato, aponto que cabe a cada um decidir o que é melhor para si: se correr atrás de parceiros ou não. Eu não digo que não farei mais parcerias, até porque ocasionalmente recebo propostas de autores nacionais e não vou negar se o livro é do meu interesse. No que tange as editoras, serei mais criteriosa e manterei somente aquelas 1) cujo catálogo me interessa 2) que mantenham uma boa comunicação e 3) que sejam respeitosas com os blogueiros e pratiquem parceria de fato.

Bom, nem todas as minhas experiências foram ruins, tive algumas muito legais e que me deixaram muito feliz! Não dá para generalizar, não é mesmo?!

Observação: as opiniões e apontamentos sobre parcerias feitas aqui nesse texto são baseadas única e exclusivamente na minha experiência e não devem ser encaradas como se definissem o que é uma parceria, ok?

E vocês que são meus leitores e também têm blogs sobre livros, o que acham disso tudo?
Beijinhos, Hel.

You Might Also Like

36 comentários

  1. eu tenho pé atrás com editoras que tem preconceito com nomes fictícios. como se alguém coloca lara no blog e ela se chama realmente lara. meu blog tem muito anos, mais de uma década, e julgam o nome. me irrita profundamente. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. Concordo plenamente contigo, as vezes desanima ler por obrigação ou ler algo que não quer no momento, as vezes solicito um livro, mas quando chega (até porque demora um pouquinho) não é o que quero ler, pois sou muito "de lua", cada semana quero ler algo diferente kkkk. Esse negocio de prazo não é algo que funciona para mim, prefiro ler no meu ritmo, que varia muito também, tem livros leio muito rápido e tem livros que a leitura não flui. Confesso que já cogitei largar todas as parcerias e ler só que o quero/tenho/compro, mas mantenho as verdadeiras parcerias, que contribuem para o crescimento do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Tai. A leitura requer um momento, não é uma atividade pragmática, mecânica. E o nosso humor varia muito de acordo com o livro que lemos.
      Eu até toparia os prazos se eu fosse paga pela minha "produtividade", o problema é que as cobranças vêm só de um lado, as editoras,e nós blogueiros acabamos só tendo que acatar sem levar vantagem nenhuma.

      Excluir
  3. Adorei esse seu post! Concordo muito com o que você escreveu.
    Meu blog tem quase 6 anos, mas está bem parado ultimamente. Eu tive ótimas parcerias, mas confesso que fiquei aliviada quando as perdia. Também não gosto de ler sob pressão, não gostava da sensação de obrigação e muito do prazer da leitura diminuía. O ponto que você citou, sobre o livro ser o pagamento para a divulgação, a resenha, etc., é algo sobre o qual muitos blogueiros não pensam. Enxergam o ganhar livro de graça como algo extraordinário, mas, na verdade, enviar livro pra blogueiro parece que sai bem mais barato pras editoras do que gastar dinheiro com marketing.
    Sei lá, tô bem com meu blog quietinho sem parceria nenhuma, sem grandes exposições.

    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lia. Tudo bem?

      Pois é, tbm senti esse sentimento de alívio quando as parcerias se encerraram esse ano. Parece que um peso saiu das minhas costas.

      Sobre o preço do livro e o envio aos blogueiros, pode ter certeza que sai bem mais barato do que qualquer outra estratégia de marketing.

      Beijos e obrigada pelo comentário :)

      Excluir
  4. Olá Hel ☺

    Olha eu confesso que realmente essa falta de comunicação por parte das editoras é algo decepcionante realmente. Contudo no meu caso as parcerias tem sido algo muito prazeroso. Tenho recebido livros somente solicitados por mim, e portanto livros que foram incríveis para mim, muitos se tornaram favoritos! Não tenho tantos problemas com prazos e pressão​, lido bem com isso e estou muito satisfeito com as parcerias do Leitura Virtual 😊
    Post super válido é interessante, beijos

    www.blogleituravirtual.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gustavo. Eu fico realmente feliz por as parcerias darem certo pra vc.
      Beijos!

      Excluir
  5. Olá Hel! Meu blog é um espaço pessoal, livre e um local até mesmo para que eu não perca o hábito de escrever. Percebo que melhorei bastante ao longo dos anos com o blog, quem não escreve, a mente enferruja... rs. Nunca pensei em fazer parcerias e você não é a primeira a relatar experiência ruim com editoras. Ler é um prazer do qual não abro mão, prefiro comprar meus livros do que ser escrava das vontades de uma editora. Percebo que o foco deles está começando a virar para os booktubers e já tem youtubers encerrando parcerias e reclamando de editoras. O que mais impressiona neste meio é quando percebemos que todos os blogs e canais receberam o mesmo livro para resenhar. Vira uma febre de resenhas do livro e interação mesmo entre o blog/canal e leitores é quase zero. Observo que canais e alguns blogs estão quase parecidos com a TV, falam, falam, e você só engole o que recebe. E infelizmente acredito que a correria por causa de parcerias causa isso. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maria. Tudo bem?
      Eu tbm percebo essa saturação da blogosfera e do booktube em relação ao conteúdo. Faltam blogs com conteúdo diferenciado, tá tudo muito parecido mesmo e isso é resultado dessa massificação das parcerias. O foco são os livros lançamentos e tudo se torna muito efêmero. Isso é triste!

      Obrigada por participar da discussão.
      Beijos!

      Excluir
  6. Oiee Hel!! Que post excelente!

    Concordo com grande parte do que foi dito!
    Acredito que além dos livros, o selinho no canto do Blog é algo gratificante e até sinônimo de reconhecimento, mas como diz o Tio Ben "Com grandes poderes vem grandes responsabilidades". rsrs

    Infelizmente nem tudo é um mar de rosas, e é importante falar de toda a responsabilidade que ser parceira acarreta: prazos, divulgações, ler livros que você não queria ler naquele momento, etc. Além de aprendermos a lidar com essa falta de comunicação e feedback de grande parte das editoras, né? Parceria significa trabalhar junto, ajudar um ao outro. Está longe de ser somente o envio e resenha de livros. Acredito que o mais importante disso tudo foi que você amadureceu muito com essa experiência e a partir de agora terá um novo posicionamento para que essas novas parcerias ocorram da melhor forma possível e na medida certa! ;D

    Ameiii o post Hel, vai ao encontro com muitos dos meus pensamentos e receios quanto às parcerias! Como o Gustavo disse, post super válido! Parabéns!!



    Bjs :*

    ...:::EntreLinhas Fantásticas - Tem sorteio no blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dê!
      Verdade, eu precisei passar por isso pra amadurecer e entender o que é melhor pra mim e para o blog.

      Obrigada pela sua participação! Beijos. :)

      Excluir
  7. Oi, Helena! Que matéria interessante, tens toda razão quando diz que o feedback das editoras é praticamente inexistente. Com relação a ler um livro por obrigação é muito massante, mesmo porque as editoras nem sempre mandam o livro que solicitanos, aí somos "obrigados" a ler um livro devido a parceria com a editora. E quando é um livro que não nos agrada, aí é que vemos se realmente vale a pena fechar parcerias com editoras. Faça o que lhe agrada, você em primeiro lugar, se estás desanimada com as editoras por diversos motivos que você citou no post, então não as faça. Abraços!!!

    www.marcasliterarias.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luciano. Tudo bem?
      Além do que eu apontei, também teve o fato de, apesar de entre uns e outros livros eu encontrar alguns maravilhosos, eu comecei a lidar com a leitura de uma jeito diferente, não sentia mais aquele prazer, aquela euforia de iniciar um livro novo, era só mais um livro. E a leitura é algo tão especial, não queria que as parcerias acabassem de vez com essa minha empolgação.
      Por isso, decidi não tentar mais a renovação das parcerias que eu tinha e, esse ano, não estou em busca de parcerias.
      Abraço. :)

      Excluir
  8. Não só adorei seu desabafo como concordo plenamente!

    ResponderExcluir
  9. Nossaaa amei seu post... é por isso que gosto de seus textos, pq vc fala com muita sinceridade... eu concordo plenamente com vc... eu não ia conseguir ler com prazos e tal... acho q isso q mais me desanima quando penso em parceria... agora falando sobre o feedback, que vc falou, deve ser bem frustante mesmo... acho q não ia gostar disso também...

    Meu Diário Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kelly. Tudo bem?
      Obrigada pelas palavras, eu primo pela verdade sempre!
      Beijos!

      Excluir
  10. Oi Hel!! Adorei seu post,refletiu exatamente o que sentia quando tinha um blog,ele parou exatamente por falta de tempo dos colaboradores para ler e postar tudo. Estávamos correndo atrás de parcerias,mas ainda bem que não conseguimos nenhuma grande porque se tivéssemos estaríamos presos a isso.Adorei seu post!!bjos Deh 😉

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Déh!
      Então, o meu blog existia sem parcerias, não é um selo que vai definir a qualidade do meu trabalho. Teve um momento da minha vida também que eu não tava lendo nada por causa do TCC e as parcerias só me deixavam mais pesarosa ainda. Sem parcerias eu sou um ser de liberdade, haha.
      Obrigada pelo comentário! Bjão. :)

      Excluir
  11. Oi, Helena!
    Estou passando pelo mesmo questionamento que você. O meu blog tem uma parceria que super funciona, mas outras que ainda estão bem devagar, que não há interação, respostas dos e-mail e nem ao menos material para divulgação (só nos enviaram os logos).

    Senti um pouco a pressão de ler por obrigação e não foi esse o intuito do blog ao ser criado, o de ter um cronograma certinho para ser seguido e sempre estar postando algo.
    Em relação aos livros enviados, tive sorte que sempre chegaram os que eu pedi e até agora não me arrependi de ler nenhum deles. Pelo contrário, conheci autoras brasileiras incríveis que nunca teria lido se não fosse a parceria.

    Enfim, é uma questão bem complicada e que vale a reflexão de cada um para ver o que é melhor para si e para o bom funcionamento do Blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nath!

      Eu também tenho uma parceria que é bem satisfatória. Mas as outras são bem devagar quase parando. Mandam e-mail e quando eu respondo com alguma dúvida, nunca tenho resposta. Isso é inadmissível. Como eu falei no texto, um canal de comunicação em que só um dos lados ouve. :(

      Já recebi alguns livros que eu não pedi, sim, e que não chegavam nem perto do meu estilo de leitura e já solicitei livros que nunca chegaram, nesse quesito tenho muito a reclamar, e=infelizmente.

      Abraço!

      Excluir
  12. Nossa, concordo demais! O Ratas tem 6 anos e nesse tempo tivemos muitas parcerias bacanas, mas muitas outras "zero" parceiras haha Acabei desistindo da renovação com uma grande editora porque o catálogo não me agradava tanto assim e não estava valendo a pena "sofrer" para dar conta. Eu também sinto que amadureci e tenho buscado um equilíbrio para fazer tudo com amor. Haha Beijo 😍

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Thaís. Tudo bem?
      Eu tbm decidi não renovar com uma das minhas parceiras de 2016 mas não foi por causa do catálogo, mas sim porque os livros que eu queria eles não mandavam e mandavam uns que eu não havia solicitado. Trágico. De que adianta gostar do perfil da editora, mas não poder escolher o que vai ler?
      O lado positivo disso é que vc, como eu, também amadureceu, e é preciso passar por isso pra entender.
      Beijos!

      Excluir
  13. Olá!
    Concordo com você. Faz menos de seis meses que criei meu blog, mas antes disso eu já era colaboradora em outro. As parcerias eram bem complicadas, os prazos tinham que ser cumpridos e eu me desdobrava com o Enem, escola, vida social (quase nula) e os livros das editoras. O ruim de tudo, é que além da leitura corrida, muitas vezes eu não gostava da obra e mesmo assim tinha que arrastar até o final e montar uma resenha. Foi um ano bem desgastante, então decidi que montaria meu próprio blog e seria mais seletiva com as parcerias. Como você disse, autores nacionais são bem mais atenciosos. Respeitam o meu tempo e embora nem sempre mandem o livro físico, a retribuição de feedback (ao meu ver) é maior.
    Beijos :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Duda. Tudo bem?

      Eu não me importo em receber e-books, o que importa é o conteúdo da obra e não o formato, sabe? Inclusive, a maioria das parcerias que eu fiz com autores foi lendo e-books.
      E concordo que os autores, diferente das editoras, são muito mais flexíveis e precisam muito mais do nosso apoio do que as editoras que já têm equipes de marketing (que recebem salários justos).
      Beijos!

      Excluir
  14. Taísa Ferreira Dias17 de março de 2017 20:45

    Olá Hel!

    Este ano foi o primeiro que consegui pegar parceria e realmente espero não me decepcionar, mas parte do que você descreveu já consigo ver. Sim, ficamos extremamente eufóricas quando descobrimos que somos um dos selecionados, mas quando observo bem descubro cada vez mais que as coisas não lindas como o nascer do sol.
    Eu realmente espero muito que minha experiência seja boa e que eu receba um bom feedback. Como você citou a parceria com os autores é muito mais próxima e positiva.
    Parabéns pelo post!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Taísa. Eu só posso desejar sucesso pra você e que a sua parceria seja muito respeitosa!
      Obrigada.
      Bjs

      Excluir
  15. Oi, Hel! Gostei das suas impressões. É bom escrever isso e deixar bem claro para as pessoas que o que fazemos não é "ganhar livro de graça" para "pouca coisa". Nosso trabalho é real e deve ser levado à sério como qualquer outro.

    Seu desabafo referente às parcerias é muito importante porque a maioria das editoras se vê no direito de apenas mandar o livro e querer que o divulguemos de todas as maneiras, sem ao menos nos ajudar com o feedback e o compartilhamento do conteúdo que produzimos. É triste isso de marcar a editora nas publicações e não ter retorno algum. Por outra parte já recebi retornos e apoios incríveis de editoras com as quais nem tenho parceria.

    Enfim, acho que tudo isso no espaço literário criado na internet é muito novo ainda. Espero que valorizem mais a opinião do leitor e também valorizem mais os escritores. O que temos no Brasil ainda é muito mais uma empresa editorial que angaria os lucros e o que sobra como migalha fica para o público que sustenta esse negócio, ou seja: nós, os escritores, os tradutores...
    Sigamos com resiliência e determinação. Sucesso com esse mundo dos livros!

    Barbara Filippini
    (Presente do Ler - https://www.presentedoler.com)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Barbara!
      Concordo com vc, é tudo muito novo e a ideia de ganhar alguns livros pode parecer tentadora, mas acredito que já passou da hora de nós problematizarmos a questão, por isso acho que essa discussão precisa ser reavivada sempre.
      Abraço!

      Excluir
  16. Assim que vi a divulgação desse post, tive certeza de que precisava ler. Agora que li, acredito que todos deveriam ler, especialmente blogueiros iniciantes que sempre estão cheios de esperanças. Como eu gostaria de ter lido um post como esse dois anos atrás! Teria me poupado muita frustração e sentimento de inferioridade em tantos formulários de parceria que preenchi.
    Os autores realmente sabem valorizar muito mais o nosso trabalho. Ainda existem uns que decepcionam, e estou avaliando se vou voltar a trabalhar com isso, mas receber o feedback deles me deixava muito feliz.
    Outros tipos de empresa e marcas trabalham muito melhor com seus parceiros, tanto na seleção quanto no feedback e pagamento (coisa que a gente não tem). Infelizmente, as editoras só fazem isso porque sabem que muitos se contentam só em ganhar um livro e que se uma pessoa deixar a parceria, vão aparecer outras 10 querendo ocupar o lugar dela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Leth!
      Verdade, eu acho que as editoras sabem que, para muitos, só ganhar o livro está bom, mas eu tbm percebo que muitos fazem um conteúdo raso e que provavelmente não dispende de tanto empenho quanto os outros, por isso, pra esse só ganhar o livro é vantagem. Infelizmente, a gente vê mais a valorização da ostentação do livro do que da discussão do seu conteúdo. :(

      Excluir
  17. Nunca vi com bons olhos essa relação entre blogueiros e grandes editoras. A mim sempre pareceu uma estratégia calcada na vaidade que cultivamos em ver nossos blogues bombando, com vários acessos e muitos comentários. A realidade, porém, é outra: os blogueiros agem como propagandistas de editoras, como divulgadores, como mão especializada vendida a preços irrisórios. Como você disse, em troca de um livro (muitas vezes ruim), exige-se leitura expressa, resenha e divulgação. Não raro, empurram-se livros de interesse comercial, sem qualquer compromisso com a qualidade literária. O blogueiro torna-se um quase-escravo, refém de livros de ocasião, aferrado a prazos exíguos, tudo por causa da miragem que alimenta em se tornar conhecido. A mim parece evidente que esse esquema só é bom para as editoras. Claro que aqui e ali é possível cruzar com um livro bom, mas em regra, obedecem-se às regras do mercado editorial. No mais, o blogueiro é empanturrado com livros fracos, permanecendo alheio à qualidade da literatura independente, principalmente a brasileira. Não é preciso ser gênio para perceber que ao se render a esse esquema, o blogueiro está - involuntariamente - contribuindo para o sufocamento do que há se melhor no submundo literário. Por isso, há que se louvar atitudes como essa, de independência em relação às editoras, de privilegiar autores independentes. Você faz a diferença, Helena. Pode até não se refletir na quantidade de acessos ao seu blogue, ou no número de comentários, mas ao dar espaço a quem não está amparado pelo marketing nocivo das grandes casas de publicação, você está fazendo muito mais pela literatura do que qualquer blogueiro "famoso".

    Gustavo Araujo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gustavo, é verdade. No início eu fiquei muito envaidecida de ter sido selecionada por editoras grandes, mas sabemos o quão nocivo pode ser inflar o ego. Além disso, as parcerias com editoras incentivam demais a competição entre os blogueiros, sendo que deveríamos nos unir para fortalecer nosso trabalho de divulgação da literatura.
      Muito obrigada por expor a sua opinião enquanto escritor e pelas palavras carinhosas, a parceria que fiz contigo foi uma das mais proveitosas e com certeza se encaixa no exemplo citado no texto. Se depender de mim, a literatura vem sempre em primeiro lugar!
      Abraço,

      Excluir
  18. Oi, Hel ^^
    Adorei o seu post!
    Lhe bateu aquela agonia quando soube da editora dito cuja que nos fez refletir novamente a relação parceria? Eu, particularmente, me vi decepcionado com ela e mais ainda pelo fato dela querer despertar a competitividade entre os blogueiros que possivelmente poderiam vir a brigar por se acharem injustiçado no jogo voraz de divulgação.
    Infelizmente, possuo parceria que não tenho esse feedback, uma delas nem responder os meus e-mails responde, só solicitei o livro e eles me enviaram a cópia da nota fiscal. Diálogo? Inexistente.
    Acredito que o que falta é eles terem blogueiros como responsáveis por esse canal de parceria pois só assim para entender o que sentimos e como reagimos a tais atitudes que consideramos antiprofissionais.
    Fazemos parceria não só para recebermos os livros - até porque alguns blogueiros nem tem grana para adquirir e pegam emprestado - mas para divulgar a literatura e sem haver discórdia contra algum blog.
    Não sou da galera ainda que menciona sobre prazos até porque pela falta de diálogo que tive fica impossível me sentir pressionado, mas abandonado.
    Espero que as novas editoras que estão surgindo aprendam com esses erros que as suas concorrentes antigas cometem e não encontrem nessa categoria de editora para se decepcionar.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bruno.
      Então... parece que eu tava prevendo, né?! Eu não só achei um absurdo como entrei em contato com a editora para demonstrar minha insatisfação. E adivinha? A editor não me respondeu!
      Eu enxerguei aquela atitude da editora como exploração, pois já havia tido um processo seletivo, para que ficar testando ainda mais os blogueiros? Claro, pra ganhar publicidade gratuita! Os blogueiros não sabem o poder que têm! As editoras é que deviam agradecer a nós, por manter o interesse pela leitura aceso em um país como o Brasil.
      Mas vc viu que as nossas reclamações surtiram um efeito, né? A editora retirou a "ação" e as três vagas. Mesmo assim, não houve retratação. Enfim, é um pequeno passo, mas serviu de lição para essa editora e para as outras que ousarem de engraçar.

      Bjs!

      Excluir

Deixe um comentário! Eu vou adorar saber a sua opinião e com muito prazer te responderei :)